Os museus dos cavaleiros em Valeta, Malta

Este post faz parte da blogagem coletiva #museuweek em que os membros da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem RBBV apresentam museus interessantes e diferentes em posts inéditos. Os links estão no final do texto.

Valeta é uma cidade que impressiona pelos parques e pelo centro histórico conservado, uma vista sensacional das muralhas medievais e uma linda baía em volta. Por isso às vezes é difícil imaginar que exista passeio melhor do que simplesmente caminhar pelas ruelas e edifícios antigos, sentar em um dos bancos de Lower ou Upper Barrakka Gardens e se sentir agradecido. Para uma experiência histórica da cidade, sugiro vencer este atraente convite ao “far niente” e conhecer os museus dos cavaleiros em Valeta: O Palácio dos Mestres  e a Armaría.

"Sólo dos enamorados" em Lower barraca gardens, Valeta, Malta

“Sólo dos enamorados” em Lower barraca gardens, Valeta, Malta

 

No Palácio dos Grandes Mestres e a Armaria está parte da história dos 4.000 anos de Malta, pois estes museus tratam da época pela qual Malta é mais conhecida – A Idade Média, com a chegada dos Cavaleiros da Ordem de São João em 1298.

Piso com um dos símbolos dos cavaleiros, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Piso com um dos símbolos dos cavaleiros, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Os Cavaleiros da Ordem de São João foram um grupamento militar católico que participaram das cruzadas. Depois da sua expulsão da terra santa pelos turcos, os cavaleiros ocuparam Chipre e, logo após, Rodes, na Espanha.

Conta a lenda que o imperador Carlos V cedeu a ilha de Malta aos Cavaleiros pelo preço de um falcão maltês por ano, assim apossaram-se da pequena ilha de 316km², um ponto estratégico, já que encrustada entre a África do norte e o Oriente Médio. Acho esta estória um pouco complicada, já que os cavaleiros só saíram da ilha em  1798 pela tomada de Napoleão. Imagina a fábrica de falcões 🙂

Entrada para turistas do Palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Entrada para turistas do Palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Valeta tem vários palácios, mas o único conhecido como “O Palácio” é o Museu/Palácio dos Grandes Mestres, que contém a Armaria ou museu das armas medievais. Não é permitido conhecer todo o prédio e parte dele estava em reforma quando fomos (janeiro de 2016), mas a parte aberta ao público impressiona e vale muito a pena.

Pátio de Netuno, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Pátio de Netuno, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

O palácio tem três entradas, mas a principal onde está a estátua de Netuno, estava fechada, então acessamos pelo Pátio do relógio, que tem este nome por possuir um relógio enorme em cima de uma torre. Este relógio marca a hora, o dia, o mês e as fases da lua. Interessantíssimo!

Pátio do Relógio, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Pátio do Relógio, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

As horas são marcadas pelo som dos escravos de bronze que tocam estes sinos enormes.

O primeiro andar é o mais importante, com salões nobres luxuosos, tetos decorados e armaduras medievais inteiras e em excelente estado, que nos faz duvidar que realmente possuam mais de 500 anos. O Palácio foi construído em 1566 pelo Grão Mestre Fra Pietro Del Monte, sendo bastante atingido na segunda guerra mundial e posteriormente restaurado.

Arte e volta ao tempo no palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Arte e volta ao tempo no palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

O primeiro andar era utilizado para reuniões, por isso conhecido como Planta Nobre, enquanto no térreo ficava os armazéns e cozinha. Neste salão com maravilhosos lustres de cristal era o local onde o Conselho da ordem de São João se reunia.

Sala do Grande Conselho, Palacio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Sala do Grande Conselho, Palacio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

A sala principal do Palácio, com os tapetes de Gobelin estava fechada. Estes tapetes que foram doados pelo Gran Mestre dos Cavaleiros Ramón Perellos, com enorme valor histórico e artístico, já que retratam a fauna e flora dos três continentes, Europa, Asia e América. Foto do site oficial

Sala dos tapetes de gobelin, Palacio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Sala dos tapetes de gobelin, Palacio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Existem outras três salas abertas ao público, todas muito parecidas, só mudando a decoração, com tapetes ou quadros, de cor amarela ou branca, todas maravilhosas.

Sala amarela, palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Sala amarela, palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Vendo outros blogs e fotos do google, percebi que várias salas, como a Sala vermelha, estava fechada, talvez pela reforma que percebemos no Palácio. Ainda assim, vale a pena conferir e, se for, me contar o que achou 😉

Primeiro piso, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Primeiro piso, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Além das salas que estão fechadas para restauração, apenas uma parte do palácio está aberta ao público, já que ele ainda hoje é utilizado como gabinete do Presidente de Malta e pelo Parlamento. Por isso, vimos muitos seguranças. Importante falar que no Palácio dos Grandes Mestres a beleza está nas paredes, no piso e no teto. Olha ai:

Teto do Palácio dos grandes mestres com a cruz de Malta a fundo, Valetta, Malta

Teto do Palácio dos grandes mestres com a cruz de Malta a fundo, Valetta, Malta

Os salões são lindos, o piso, o teto, os seguranças nos controlando para não abraçar as armaduras nos selfies, mas nada se compara à Armaria.

Armaria, Palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Armaria, Palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

O Museu das Armas único no mundo, pois as armas que ali estão eram de propriedade do mesmo palácio onde se encontram. A variedade de armaduras completas, de várias épocas e estilos, algumas ricamente detalhadas e com os nomes de seus proprietários é fascinante.

Armaria e algumas de suas armaduras completas, Palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Armaria e algumas de suas armaduras completas, Palácio dos Grandes Mestres, Valetta, Malta

Confesso que não sou muito fã de estórias de cavaleiros, nem literatura medieval, mas as mais de 5.000 peças do Século XVI ao Século XVIII instigaram a minha curiosidade. Esta peça foi de um dos mais importante cavaleiros da Ordem, um Grão Mestre, por isso os detalhes rebuscados.

Rica armadura, Armaria, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Rica armadura, Armaria, Palácio dos Grandes Mestres, Valeta, Malta

Em algumas armaduras se pode observar marcas de luta, mas todas estão bem preservadas. A parte das armas também é muito interessante e tem de canhões a refinadas e pequenas armas de fogo.

 

Dicas:

A entrada e bilheteria do Palácio e da Armaria estão no mesmo lugar. Depois do comprar o ingresso, siga pela escada externa. Recomendo visitar primeiro as salas, onde a quantidade de detalhes é menor e a visita mais rápida, para depois pegar o áudio-guia e conhecer a armaria.

Os melhores horários para conhecer as atrações fechadas (Museus, Igrejas, Biblioteca…) de Malta são os primeiros horários da manhã ou o último horário da tarde. Isto porque muitas pessoas conhecem Malta através de cruzeiros que aportam em Valeta, assim, no horário de meio dia até as 15h, a chance de pegar filas é enorme. Atenção apenas para os horários:

Palácio dos Grandes Mestres = Segunda a Quarta e Sextas(fecha às quintas) das 10h às 16h. Sábados e Domingos das 09h às 16h. Ingresso no valor de E$ 8,00

Armaria = Todos os dias das 9h até as 16h30min (fecha às 17h, mas a última entrada é trinta minutos antes). Ingresso no valor de E$ 6,00.

A secretaria de turismo de Malta gentilmente nos cedeu um cartão de desconto, por isso paguei apenas E$ 5,00 pela entrada nos dois. Para saber mais sobre o Malta Discount Card, clique aqui

*** Este post faz parte da blogagem coletiva do #MuseuWeek. A RBBV (Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem) participou com os blogs:

Geral

A Fragata Surprise – Casas-museus: a vida cotidiana de gente muito especial

Despachadas – 5 Museus Interativos ao redor do mundo

Europa

Alemanha

Tá indo pra onde? – Ilha dos Museus

Viajoteca – 5 museus inusitados em Berlin

Pelo Mundo Com Vc- Museu do Holocausto ou Memorial aos Judeus Mortos da Europa

Já Fomos – Visitando o Campo de Concentração em Dachau

Pequenos pelo Mundo – Museus de Automóveis na Alemanha

A Li na Alemanha – Museu Mercedes-Benz

Bulgária

Escolho Viajar – Museu Nacional de História Militar

 

Espanha

Virando Gringa – Museo Atlantico

Comendo Chucrute e Salsicha – Museo de Artes y Costumbres Populares de Sevilla

Esto Es Madrid, Madrid – Museo de Altamira

Sol de Barcelona – Museu Joan Miro

França

Viagem LadoB – Museé D’Orsay

A Path to Somewhere – Centre Pompidou

Destinos por onde andei… – Louvre

Direto de Paris – Musée Rodin

SOSViagem – Museu do Louvre X Museu d’Orsay

Apure Guria – Antigo Egito no Museu do Louvre: incrível!

Grécia

Viaje Sim! – No centro das Cíclades: Museu Arqueológico de Delos

Fourtrip – Museus de Atenas

Holanda

Novo Caroneiro – Sexmuseum

Hungria

Juntando Mochilas – Museu do Terror

Irlanda

The Life of isa – 4 museus gratuitos em Dublin

Itália

Passeios na Toscana – Palazzo Pitti

The Nat’s Corner – Pinacoteca de Brera

Vou pra Roma – Museus do Vaticano

Roma Pra Você – Galleria Borghese

Grazie a Te – Corredor Vasariano

Reino Unido

No Mundo da Paula – Museum of London

Vamos Viajar – British Museum

Segredos de Londres – Victoria and Albert Museum

Mochilão Barato – Madame Tussauds

República TchecaTrilhas e Cantos – Museu do Comunismo

Rússia

Viajei Bonito – Museu da Vodka

Love and Travel – Museu Hermitage

Suécia

Viajar pela Europa – Museu Vasa

Suíça

Carta sem Portador – Fondation Gianadda

Turquia

Viagem a Dois – Palácio Topkapi – Istambul

América do Sul

Argentina

Sonhando em Viajar – Buque Museo Fragata A.R.A. “Presidente Sarmiento”

Brasil

Coisos on the go – Inhotim

E aí, Férias! – Museu Imperial

Outro blog – Museu do Amanhã

#KariDesbrava – Museu Nacional de Belas Artes

O Melhor Mês do Ano – Museu do Futebol

Cantinho de Ná – Museu do Frevo

De Cá Pra Lá – Museu Palácio dos Bandeirantes

Viagens que Sonhamos – Fundação Iberê Camargo

Nativos do Mundo – Museu da República

Atravessar Fronteiras – CCBB – DF

Embarque neste blog – Museu Casa Guilherme de Almeida

Vida de Turista – Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS

Mel a Mil pelo Mundo – Museu Julio de Castilhos

Rodando pelo Ceará – 5 Museus Incríveis para Conhecer no Ceará

Devaneios de Biela – Museu Oscar Niemeyer (Museu do Olho)

Tirando Férias – Museu de Zoologia da USP

Viagem em Detalhes – Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência

D&D Mundo Afora – 9 museus no Brasil

Estrangeira – MAMuseu: Museu Histórico de Alcântara

Chile

Gastando Sola Mundo Afora – Museo Chileno de Arte Precolombino

Peru

De Mochila e Caneca – Museu da Inquisição

América do Norte

Estados Unidos

Família Viagem – Fernbank Museum of Natural History

Janela para o Mundo – Graceland

RenataPereira.tv – Bibliotecas e Museus presidenciais nos EUA

Aquele Lugar – Museu do Ar e Espaço

Fica Dica Viagens – Vizcaya Museum

Casal Califórnia – Museus no Balboa Park

Malas e Panelas – The Broad Museum

Felipe, o pequeno viajante – Museu de Anchorage, Alaska

Ideias na mala – Melhores Museus de San Francisco

México

Viagem de Fuga – Museu Frida Kahlo

Viviendo en el México Mágico! – Museo Nacional de Antropologia

Uzi Por Aí – Museu Soumaya

Asia

China

Like Wanderlust – Museu Qin e os Guerreiros de Terracota

Vietnã

Brazuka – Museu da Guerra (War Remnants Museum)

Japão

Aventura Começa – Museu Meijimura

Oceania

Australia

Coordenadas do mundo – Museu de Arte Contemporânea

57 comentários sobre “Os museus dos cavaleiros em Valeta, Malta

  1. Pingback: Inhotim: o museu que combina arte e natureza a 1 hora de BH | Coisos on the go

  2. Pingback: Museu Do Louvre X Museu D’Orsay: Qual Visitar Em Paris? | SOSViagem

  3. Pingback: Museu da Frida Kahlo: La Casa Azul – Viagem De Fuga

  4. Pingback: Palácio Topkapi - Istambul - Viagem a dois | Viagem a dois

  5. Pingback: O Que Fazer Em Atlanta: Fernbank Museum Of Natural History | Família Viagem

  6. Pingback: Casas-museu de Frida Kahlo e Diego Rivera na Cidade do México

  7. Pingback: Grazie a te / O museu Uffizi e o Corredor Vasariano

  8. Pingback: Paço do Frevo: espaço exclusivo dedicado ao ritmo pernambucano - Cantinho de Ná

  9. Pingback: O outro museu Rodin - Direto de ParisDireto de Paris

  10. Pingback: 5 museus inusitados em Berlin - ViajotecaViajoteca

  11. Pingback: Blogagem Coletiva – Museum Week: Meijimura | A Aventura Começa

  12. Pingback: Museu D'Orsay Em Paris, O Que Ver | Viagem LadoB

  13. Pingback: Museum Week: Guerreiros de Terracota – Like Wanderlust

  14. Pingback: Blogagem Coletiva #MuseumWeek - Rodinhas nos Pés

    1. viagensinvisiveis Autor da Postagem

      Larissa, fomos no inverno, passamos duas semanas inteiras (em uma semana, fizemos curso de inglês pela manhã) e não vimos tudo! Então tem muito além de praia e vale muito a pena mesmo no inverno, quando as temperaturas são amenas – 18º-25º

  15. Pingback: Museum of London - No Mundo da Paula

  16. Pingback: Antigo Egito no Museu do Louvre: incrível! - Apure Guria!

  17. Cynara Vianna

    Eu não ouvia falar muito sobre Malta, mas nos últimos 2,3 anos, a cada dia escuto ou leio mais e mais a respeito e estou sendo surpreendida no bom sentido. Já entrou pra minha wishlist de viagens.

    1. viagensinvisiveis Autor da Postagem

      Parece que ultimamente Malta tem conseguido mais espaço no meio turístico, talvez por Valeta ter sido eleita como capital da cultura em 2018… Que bom que está entrando na wishlist de tanta gente legal!

  18. Pingback: Destaques da Semana 80: os blogueiros da RBBV e a #MuseumWeek | RBBV – Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem

  19. Pingback: O outro museu Rodin – Direto de Paris

  20. Pingback: Centre Pompidou: o incrível Museu de Arte Moderna de Paris - A Path to Somewhere

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *